Caiado quer convocar ministros para explicar aproximação entre MST e paramilitares venezuelanos


Foto: Caiado quer convocar ministros para explicar aproximação entre MST e paramilitares venezuelanos

Deputado também fez representação no Ministério Público Federal e convidou deputada venezuelana para ajudar nos esclarecimentos

O líder da oposição no Congresso Nacional, deputado Ronaldo Caiado (Democratas-GO), entrou com requerimentos de convocação aos ministros Luiz Alberto Figueiredo (Relações Exteriores) e Laudemir André Müller (Desenvolvimento Agrário) exigindo explicações sobre um convênio assinado entre o governo venezuelano e o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). Os requerimentos foram protocolados nas comissões de Agricultura e Relações Exteriores nesta quinta-feira (30/10). 

Caiado também fez uma representação ao procurador regional da República da 1ª Região, Wellington Cabral Saraiva, pedindo investigação do Ministério Púbico Federal sob a alegação de que o MST é indiretamente financiado pelo governo federal através de ONGs e que a prática infinge artigos da Constituição que versam sobre os “valores sociais do trabalho e da livre iniciativa” e do "direito à propriedade socialmente funcional" . 

A visita ao Brasil do ministro do Poder Popular para as Comunas, Elías Jaua, foi marcada pela firmação de convênios entre o governo venezuelano e o MST. De acordo com a imprensa oficial do Governo Maduro, um grupo socialista-bolivariano está no país para "treinamento e desenvolvimento de comunidade" a unidades do movimento no Paraná e em São Paulo. Na Venezuela, Elías Jaua ainda acumula o cargo de vice-presidente para a sugestiva pasta do "Desenvolvimento do Socialismo Territorial".

"Foi assim que começou o treinamento de uma força paramilitar de repressão aos movimentos contrários a Chávez na Venezuela. Essa conversa de ajuda no campo esconde interesses muito mais sombrios e é uma afronta a nossa Constituição, uma invasão silenciosa", criticou Caiado. O democrata irá pedir a inversão de pauta para acelerar o processo de convocação.

MP e Cooperação
Ronaldo Caiado também convidou para a Comissão de Relações Exteriores a deputada venezuelana de oposição, Maria Corina, para ajudar a esclarecer como funciona a estratégia do Governo Maduro.

"Corina está sendo perseguida pela ditadura venezuelana e já veio aqui no Brasil nos alertar sobre esse risco. O seu depoimento vai ajudar a tornar claro as verdadeiras pretensões desse ministro em nosso território. É preciso acabar com essa diplomacia invertida onde nós estamos submissos a um governo apenas por ser ideologicamente alinhado ao PT", defendeu.
Ronaldo Caiado

Deputado também fez representação no Ministério Público Federal e convidou deputada venezuelana para ajudar nos esclarecimentos.

O líder da oposição no Congresso Nacional, deputado Ronaldo Caiado (Democratas-GO), entrou com requerimentos de convocação aos ministros Luiz Alberto Figueiredo (Relações Exteriores) e Laudemir André Müller (Desenvolvimento Agrário) exigindo explicações sobre um convênio assinado entre o governo venezuelano e o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). Os requerimentos foram protocolados nas comissões de Agricultura e Relações Exteriores nesta quinta-feira (30/10).

Caiado também fez uma representação ao procurador regional da República da 1ª Região, Wellington Cabral Saraiva, pedindo investigação do Ministério Púbico Federal sob a alegação de que o MST é indiretamente financiado pelo governo federal através de ONGs e que a prática infinge artigos da Constituição que versam sobre os “valores sociais do trabalho e da livre iniciativa” e do “direito à propriedade socialmente funcional” .

A visita ao Brasil do ministro do Poder Popular para as Comunas, Elías Jaua, foi marcada pela firmação de convênios entre o governo venezuelano e o MST. De acordo com a imprensa oficial do Governo Maduro, um grupo socialista-bolivariano está no país para “treinamento e desenvolvimento de comunidade” a unidades do movimento no Paraná e em São Paulo. Na Venezuela, Elías Jaua ainda acumula o cargo de vice-presidente para a sugestiva pasta do “Desenvolvimento do Socialismo Territorial”.

“Foi assim que começou o treinamento de uma força paramilitar de repressão aos movimentos contrários a Chávez na Venezuela. Essa conversa de ajuda no campo esconde interesses muito mais sombrios e é uma afronta a nossa Constituição, uma invasão silenciosa”, criticou Caiado. O democrata irá pedir a inversão de pauta para acelerar o processo de convocação.

MP e Cooperação
Ronaldo Caiado também convidou para a Comissão de Relações Exteriores a deputada venezuelana de oposição, Maria Corina, para ajudar a esclarecer como funciona a estratégia do Governo Maduro.
“Corina está sendo perseguida pela ditadura venezuelana e já veio aqui no Brasil nos alertar sobre esse risco. O seu depoimento vai ajudar a tornar claro as verdadeiras pretensões desse ministro em nosso território. É preciso acabar com essa diplomacia invertida onde nós estamos submissos a um governo apenas por ser ideologicamente alinhado ao PT”, defendeu. Aqui

Nenhum comentário: